ouvidoria@jequitinhonha.mg.gov.br
33 3741-1312 | 33 3741-2777
30e2d044cf58816407784d1d1257b3b8.jpg
 

Estiva
O povoado nasceu nos terrenos fronteiros às terras do político Deraldo Martins, onde está localizada a fazenda Emparedado, recebendo o nome de Estiva. O local era parada de tropeiros e lugar de troca de mercadorias. Instalado no platô da Serra das Quatro Patacas, o distrito possui aproximadamente 800 habitantes e sua principal atividade econômica é a agricultura de subsistência. Estiva dista 50 km da sede do município e o acesso é através da MG 105, em direção a Pedra Azul.

São Pedro do Jequitinhonha
Situado às margens do Rio Jequitinhonha, o distrito de São Pedro do Jequitinhonha tem sua origem ligada a um porto de travessia de gado a caminho da região de Pedra Azul e Estiva. O distrito, situado a 43 km da sede do município possui cerca de 1.600 habitantes e suas principais atividades econômicas são agricultura de subsistência e pecuária extensiva.

Possui topografia plana, com ruas que convergem para a praça principal e construções de pequeno porte. O estilo arquitetônico predominante é o colonial mineiro rural. Entre as edificações, destacam-se a Igreja e o Mercado.

Mumbuca
Mumbuca começa por volta de 1866, quando um escravo forro, José Cláudio Bispo de Souza, acompanhado de cinco famílias negras, partiu de terras áridas do nordeste em busca de um bom lugar onde lançar raízes e viver em paz com o dinheiro ganho do seu senhor. Escondido em meio às serras da Mata Escura, o povoado possui 392 habitantes e guarda algumas das suas características originais – construções com pé-direito baixo, telhados de palha ou telhas de barro, casas de pau-a-pique. A principal atividade econômica da comunidade é a agricultura de subsistência.

Guaranilândia
Guaranilândia ou popularmente Guarani situa-se às margens do Rio Jequitinhonha, a 23 km da sede do município. O povoado foi importante ponto de parada onde pernoitavam navegadores e tropeiros que carregavam grandes rebanhos de gado para comércio e corte. O Guaranilândia abriga ruas sinuosas, casas de pequeno porte, algumas de pau a pique e algumas construções modernas. Possui cerca de 1.200 habitantes e suas principais atividades econômicas são agricultura de subsistência e pecuária.

Cajú
O povoado do Cajú é resultado do comércio de gado em torno das grandes fazendas e do fato de ter sido local de passagem de tropeiros. Hoje, devido à decadência de sua primeira atividade econômica, o distrito vive da agricultura de subsistência. Possui aproximadamente 520 habitantes e dista 101 km da sede do município. O povoado possui traçado irregular, abrigando pequenas construções de moradias e comércio.

Possui um mercado e uma praça, onde se localiza a Igreja de Nossa Senhora das Graças. Para chegar até o local, considerando o distrito sede (Jequitinhonha), é necessário percorrer parte da MG-050, em direção à Pedra Azul, em estrada não pavimentada, em boas condições. Entretanto, é necessário cautela e atenção, pois nesse caminho há várias bifurcações. Uma segunda alternativa para chegar ao Cajú é passar pelo distrito São Pedro. Parte desse caminho é em estrada pavimentada (BR 367).

Comunidades: Krant, Jequitibá, Craúno, Craunília, Rio Preto, Ilha do Pão, Transilvânia, Oratório, Araçatuba, Boa Vista, Beira Rio, Vai quem Quer, Santo Antônio, Santo Antônio Rural, Chapadinha, Brejão, Maranhão, Campo Novo, Assentamento Franco Duarte, Assentamento Transval, Cachoeira, Laranjeira, Para Terra, Monteiro, Palmasso.

Fonte: Sou Jequi.

Compartilhar nas redes sociais: