Sobre

JUNHO VIOLETA: MÊS DA CONSCIENTIZAÇÃO CONTRA A PESSOA IDOSA


Veja na integra tudo sobre essa notícia.

JUNHO VIOLETA: MÊS DA CONSCIENTIZAÇÃO CONTRA A PESSO...

Junho Violeta : Mês Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa
A violência contra o idoso pode ser definida como um ato único, repetido ou a falta de ação apropriada, ocorrendo em qualquer relacionamento em que exista uma expectativa de confiança que cause dano ou sofrimento a uma pessoa idosa. É uma questão social global que afeta a saúde e os direitos humanos de milhões de idosos em todo o mundo e que merece a atenção da comunidade internacional.
A violência contra o idoso no Brasil não se resume a agressões físicas. A violência contra o idoso pode ocorrer de várias formas.
Os tipos mais comuns incluem a violência física (como bater no idoso), violência psicológica ou emocional (como fazer o idoso sentir-se constrangido ou humilhado), violência financeira (como no caso de familiares de que se utilizam de recursos dos idosos para si), violência sexual (mesmo em conversas, quando isto for contra a vontade e princípios do idoso) e a violência por negligência (deixar de agir quando necessário, sejam os responsáveis pelo idoso ou ele próprio sendo negligente consigo).
Muitos idosos não denunciam a violência sofrida por medo de serem identificados, ou por vergonha, já que, na maioria das vezes, as agressões ocorrem já há bastante tempo e dentro de casa. As denúncias são subnotificadas. No entanto, é importante destacar que a identidade do idoso que fizer a denúncia, independente do canal, é preservada.
É importante que profissionais, familiares, cuidadoras(es) e vizinhas(os) fiquem atentas(os) a qualquer sinal de violência, já que, ainda que constantes, as agressões podem não deixar marcas visíveis.
É importante que profissionais, familiares, cuidadoras(es) e vizinhas(os) fiquem atentas(os) a qualquer sinal de violência, já que, ainda que constantes, as agressões podem não deixar marcas visíveis.
No Brasil, a Constituição e o Estatuto do Idoso asseguram os direitos dessa população. Segundo a lei, é dever de todas(os) garantir a integridade física e psicológica da pessoa idosa. “Nenhum idoso será objeto de qualquer tipo de negligência, crueldade ou opressão, e todo atentado aos seus direitos, por ação ou omissão, será punido”.